O investimento social privado no Brasil, realizado por empresas, institutos e fundações empresariais, movimentou a maior parte dos 6 bilhões de reais doados de março até agora, segundo o Monitor das Doações. Diante do volume, aumentou o interesse desses agentes em medir o impacto gerado por seus investimentos.

Para tanto, o IDIS (Instituto para o Desenvolvimento do Investimento Social) está conduzindo mais de 15 avaliações para organizações de diferentes natureza. A lista conta com nomes de peso, como a Gerando Falcões, Parceiros da Educação, Amigos do Bem e a Petrobras – só neste caso, são 6 projetos do portfólio socioambiental da companhia.

“Aplicamos metodologias que nos permitem traduzir o impacto em valores monetários. Em 2019, ao avaliar o eixo ambiental do Projeto Uçá, da Petrobras, identificamos que para cada R$ 1 investido o retorno foi de R$ 4,55 em benefícios socioambientais”, explica a diretora-presidente do IDIS, Paula Fabiani.

Processos adequados de avaliação mostram não só as transformações realizadas, mas também permitem identificar pontos de melhoria e apoiar o planejamento de ações futuras. “Em função de crescentes pressões por redução de custos e busca de maior eficiência, a cobrança de se mostrar de forma explicita os retornos dos investimentos sociais é cada vez maior. Mais do que nunca, avaliar será necessário”, ressalta Paula Fabiani.

Continua após a publicidade